Facebook Twitter

Análise #2 - Salt and Sanctuary


      Sabe aquele jogo que te deixa muito viciado? Mais muito viciado mesmo? Salt and Sanctuary é esse tipo de jogo! Sério, ele é MUITO bom!

      Desde os lançamentos de Demon's Souls, em 2009, e depois Dark Souls, em 2011, uma dezena de outros jogos foram lançados nos moldes da série Souls - jogos difíceis, punitivos, onde quaisquer erros podem significar a derrota, mas que, ao mesmo tempo, fazem o sentimento de conquista e vitória, seja na derrota de um chefe ou ao completar uma área, seja muito mais gostoso. Sem pensar muito consigo enumerar alguns: Lords of the Fallen, Wayward Souls (jogão), Titan Souls... e Salt and Sanctuary!

      Lançado dia 15 de março para PS4, com versões previstas para PS Vita e PC, e desenvolvido pela Ska Studios, esse jogo me impressionou demais - principalmente por um motivo: ele é 2D! Imagine as dificuldades de um jogo da série Souls, só que em um mundo 2D - Salt and Sanctuary conseguiu fazer isso de forma brilhante.


      Assim como nos jogos Souls, na tela inicial você deve criar seu personagem, onde você pode escolher de tudo, como nome, sexo, estilo e cor do cabelo e barba, cor da pele (definida pelo local de nascimento) e classe. Quanto às classes, que vai desde cavaleiro ou mago a cozinheiro, você não fica preso a essa escolha pelo resto do jogo - elas só definem os equipamentos iniciais que seu personagem terá - você tem controle total de como quer que seu personagem evolua. 


      Falando em evolução, o modo como você adquiri novas habilidades e melhora seus atributos é igual ao de Final Fantasy X - uma espécie de grade com todas as melhorias, onde você deve adquirir uma para seguir em frente, porém com diversos caminhos diferentes. Por exemplo, as melhorias que envolvem magia, ficam no canto inferior esquerdo, então se você quiser um mago, irá focar nesse lugar. 


      A história também segue a linha da série Souls. Uma guerra vem destruindo o mundo ao longo de décadas que finalmente pode chegar ao fim, através de um casamento arranjado entre os herdeiros da família real de duas nações diferentes. O jogo começa com seu personagem a bordo do navio que está levando a princesa ao casamento, porém a embarcação é atacada por um grupo contrário a essa aliança. Após batalhar contra o primeiro boss do game (que em apenas um hit pode te derrotar - porém é possível vencer a luta), você acorda em uma ilha desconhecida, descobrindo que o navio naufragou, e parte na missão de resgatar a princesa. Depois dessa intro, você deve descobrir, explorar e tirar suas conclusões sozinho.


      Os cenários do jogo foram desenhados a mão e possuem um visual sombrio, que combina perfeitamente com a atmosfera sinistra do jogo. Os gráficos são lindos, e cada área nova visitada possui uma série de ricos detalhes, que acrescentam muito a imersão que o jogo proporciona. Os inimigos são muito variados - até o ponto em que eu cheguei do jogo, já enfrentei mortos vivos, fantasmas, cavaleiros, arqueiros, cachorros ou lobos sedentos pelo meu sangue, uma mistura de cavaleiro com aranha - cada um com sua forma única de atacar. 


      O combate é um grandes triunfos do jogo. A variedade de armas é enorme - espadas, lanças, martelos, machados, adagas, além de uma diversidade incrível de magias! Além disso, cada tipo de arma possui uma forma única de atacar e consome uma quantidade de energia diferente, que é representada pela barra verde abaixo da vida, o que resulta em diversas maneiras diferentes de poder acabar com os inimigos! Você com certeza irá encontrar uma forma que te agrade! Para se defender existem duas maneiras: escudos e rolar, que também consomem energia.   


      Quando você derrota os inimigos você ganha gold, utilizado para comprar novos itens ou magias, e Salt - as almas da série Souls - consumidas para subir de nível. Os pontos "seguros" do jogo, onde você pode subir de nível e melhorar seu personagem, são os Sanctuarys (santuários), que são encontrados em diversos pontos diferentes do mundo. O jogo também possui um sistema de facções, as "creeds". Cada novo santuário descoberto ficará ligado a facção atual do seu personagem - porém, com um determinado item, você pode alterar esse vínculo. Para aumentar o nível de devoção com a facção é necessário doar itens derrubados pelos monstros para os "líderes" - com níveis mais altos de devoção é possível comprar equipamentos e magias únicas a cada facção.


      Recomendo muito esse game, ele super divertido e é um ótimo passatempo até a chegada de Dark Souls 3, no final de abril! Aposto que você também irá se viciar nele! 

      Gostou dessa análise? Caso você queira ver algum jogo sendo analisado ou tiver alguma dica, sugestão ou crítica, entre em contato, ficarei muito feliz em te responder! Um grande abraço!

Compartilhe esse post!

  • Facebook
  • Twitter
Autor: Allyson
Viciado em games desde criança, por causa de um Nintendinho, um Super Mario World 3 e um Legend of Zelda. Fã de RPGs, filmes e séries, administro o blog Túnel Nerd e compartilho com você as atualidades do mundo dos games e da cultura nerd.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...